Crivella lança programas para população em situação de vulnerabilidade social

Crivella lança programas para população em situação de vulnerabilidade socialO prefeito Marcelo Crivella lançou, nesta segunda-feira (07/08/2017), os programas Primeira Infância Carioca (PIC) e Territórios Sociais, no auditório do Centro Administrativo São Sebastião (CASS), na Cidade Nova. As iniciativas visam acompanhar o desenvolvimento de crianças, desde o pré-natal até os seis anos de idade, e reduzir a vulnerabilidade social de famílias que vivem em áreas de baixo IDS (Índice de Desenvolvimento Social).

O Instituto Pereira Passos (IPP) fez um mapeamento das 180 regiões da cidade onde o IDS é reduzido. Das 9.611 famílias entrevistadas, pouco mais de 1.200 foram identificadas como de risco social. Crivella disse que a Prefeitura tem feito investimentos para diminuir essa desigualdade na população carioca.

– Nós precisamos estar à frente desses programas. Na Zona Sul, temos quatro homicídios por 100 mil moradores, mas na Pavuna esse número sobe para 40 homicídios e, em Nova Iguaçu, chega a 60. Faço aqui um apelo para que juntos a gente consiga reduzir essa desigualdade abissal – disse o prefeito.

Os dois projetos fazem parte das diretrizes do “Plano Estratégico da Cidade do Rio de Janeiro – Rio 2020: mais solidário e mais humano”. O objetivo é inserir as famílias mais vulneráveis nos programas de políticas sociais da Prefeitura. Para a secretária municipal de Assistência Social e Direitos Humanos, Teresa Bergher, os programas vão ajudar a tirar cerca de 100 mil crianças da situação de vulnerabilidade:

– Vamos criar oportunidades de desenvolvimento infantil. As famílias já estão identificadas. Agora, nós vamos lá para aplicar o questionário, ver o grau de vulnerabilidade para poder encaminhá-las aos serviços sociais.

Em ações integradas por diversas secretarias, os dois programas preveem visitas domiciliares para atualizar o cadastramento dessas famílias nas unidades de atenção primária de referência; a matrícula de crianças e adolescentes em escolas da rede municipal; e a intermediação de mão de obra, com qualificação e formação de profissionais. O secretário Municipal de Educação, Cesar Benjamin, colocou todos os programas de expansão de sua pasta à disposição.

– A prefeitura pode contar com a Educação para apoiar essas famílias e tirá-las dessa situação o mais rapidamente possível – disse o secretário.

A secretária de Saúde em exercício, Beatriz Busch, também acredita no sucesso da ação integrada de vários órgãos:

– Nossos agentes serão instrumentos facilitadores para encontrar no território quem mais precisa de assistência.

O Instituto Pereira Passos será responsável pelo monitoramento e pela avaliação dos projetos. A gestão ficará a cargo da Secretaria Municipal da Casa Civil, em articulação com as secretarias de Educação, Saúde, Assistência Social e Direitos Humanos, Emprego e Inovação, Urbanismo, Infraestrutura e Habitação, e Cultura.

Também participaram da cerimônia de lançamento dos programas o senador Eduardo Lopes, presidente do PRB no Rio, o presidente do IPP, Mauro Osório da Silva, e os secretários Rubens Teixeira, Indio da Costa e Clarissa Garotinho.

Fonte: prefeitura.rio